[Sonhos] Condensação e Deslocamento

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Olá, queridos. Como foram de Natal? Espero que todos tenham se divertido bastante e, melhor do que isso, tendo confraternizado e compartilhado a compaixão de Jesus Cristo com suas famílias, amigos e semelhantes. Comemoramos o nascimento do Menino Jesus em 25 de dezembro - estudiosos concluem que seu nascimento ocorreu, na verdade, no mês de Kishrei (setembro/outubro) do calendário judaico -, mas sabemos que o evento mais importante na vinda do Filho de Deus ao mundo não foi o seu nascimento, e sim sua morte na Cruz. Através de Seu sacrifício foi que recebemos o livre acesso ao Pai. E agora, por meio da fé na obra de Cristo, podemos ser chamados filhos de Deus (João 1 :12).

Bem, que o nosso Natal seja a essência do amor de Jesus presente em nós durante todos os dias das nossas vidas. Mas, mudando radicalmente de assunto, pois a postagem de hoje é sobre sonhos e elementos dos sonhos, confiram um dos meus sonhos e sua provável compreensão, com base em estudos da Psicanálise, que contei em 31 de agosto de 2011, no tópico Sonhos do Fórum Escreva Seu Livro.

___________________________________________

Condensação e Deslocamento


A questão dos sonhos é mesmo muito complexa. Minha mãe sempre sonha que é adolescente, eu sempre sonho com uma casa que não existe mais. A mente inconsciente manifesta pensamentos em códigos numa ordem diferente da mente consciente - sem ordem lógica ou sequencial. Assim, é muito complicado tentar decifrar os sonhos, porque eles sempre vêm disfarçados - exceto os sonhos das crianças, que geralmente expressam aquilo que elas viram, pensaram ou desejaram quando estavam acordadas. 

Outro dia, sonhei que tinha dois pretendentes, os quais eu amava igualmente de paixão, e precisava escolher um deles para me casar. Então, eles começaram a me pressionar muito - eu queria me casar com os dois, mas precisava optar por ficar com apenas um deles. Daí, quando tive que dar minha resposta, olhei para ambos e falei: "A pessoa com quem eu quero ficar de verdade não está aqui"; e pensei em meu esposo.

Analisando esse sonho de um modo natural, qualquer um pensaria que eu sou uma indecente. Mas, considerando os disfarces dos sonhos conhecidos pelos profissionais da área psíquica - só conheço Condensação e Deslocamento -, ficaria claro que o foco principal desse sonho não era exatamente "romântico". 

Para que se entenda, a Condensação é uma espécie de mistura, combinação de elementos no sonho: uma pessoa, a quem eu chamo de José no sonho, está vestida como João, mas tem a aparência de Pedro, contudo, meu entendimento jura que é Mateus; enquanto o Deslocamento é a substituição de um elemento por outro mais remoto que alude ao primeiro - uma troca da ênfase de um elemento importante por outro que não é importante. 

Então, compreendendo o meu sonho... Eu tinha dois pretendentes, que poderiam ser duas possibilidades, duas coisas que, aparentemente, eu desejava muito, e só podia ficar com uma. Havia a necessidade de escolha e, obviamente, eu estava em cima do muro - ninguém tem grande facilidade para escolher entre duas coisas que deseja muito, e na mesma medida. Por fim, respondi que não queria ficar com nenhum dos dois pretendentes, pois me lembrei que havia algo mais importante, alguém a quem eu amava mais, e de verdade. 

Em suma, provavelmente eu estava sendo apertada por alguma questão difícil de decidir nesse período - não me lembro mais o que pode ter sido -, mas meu inconsciente quis sinalizar ao meu consciente que, na verdade, embora a necessidade de escolha estivesse me oprimindo, havia uma decisão melhor, que me deixaria mais satisfeita, e eu não estava conseguindo enxergar (eu não via meu marido no sonho, só me lembrava dele no final), devido ao problema (ter que escolher).

Perceberam como um simples sonho pode esconder um monte de códigos?



_____________________________________________

Como eu sonho bastante e escrevo textos baseados em meus sonhos - tenho contos, capítulos e romances inteiros escritos com base nos meus sonhos -, pretendo postar sobre o assunto de vez em quando. No mais, vamos sonhar - dormindo e acordados -, pois é bom, saudável e faz bem!

[Sorteio] Promoção Hush Hush

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012



Olá, amigos e leitores! Conforme informei na postagem anterior, trago hoje mais um sorteio para vocês, novamente em parceria com a Biia do blog Pepper Lipstick. Dessa vez, o prêmio será a coleção Hush Hush: Livros Sussurro, Crescendo e Silêncio. O último livro da série está em pré-venda, então aproveitem a oportunidade, pois, caso o ganhador goste da série, terá apenas que comprar o último livro. 

A promoção tem início hoje, dia 19.12.2012, e termina em 25.01.2013. Caso precisem de ajuda com o formulário on line, cliquem em Turtorial Rafflecopter.

Termos e condições

É obrigatório: 

1) Ter um endereço de entrega no Brasil; 
2) Curtir a fanpage do blog Pepper Lipstick
3) Seguir o blog de Dai para Isie, este, pelo GFC; 
4) Validar sua participação comentando nesse post, avisando que está participando. Ex: "Participando". Atençãona hora de preencher essa opção no formulário, forneça o nome com o qual comentou e um e-mail para contato.

Esteja ciente:

1) O descumprimento de qualquer opção obrigatória e da opção com que o ganhador foi sorteado resultará em desclassificação;
2) Depois de o resultado ser divulgado, o ganhador terá até 03 (três) dias para responder ao e-mail com os dados solicitados. Caso contrário, outro sorteio será realizado no quarto dia após a divulgação do primeiro resultado; 
3) Os livros serão enviado em até 30 dias, a partir da resposta do e-mail.

Formulário


Código do Banner





Desejo muito boa sorte a todos!

Caixinha de Correio #4

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Olá, queridos amigos e leitores! Hoje trago para vocês mais uma Caixinha de Correio - até que enfim! O vídeo ficou um pouco longo, mas tentei postá-lo mesmo assim. O problema é que toda hora acontecia algo e dava erro no You Tube - após algumas tentativas, cansei. Então, fiquem apenas com as imagens. Depois farei uma montagem com os meus erros de gravação para vocês se divertirem.




Lista de sete itens, entre mimos e livros, que recebi e/ou li:  

1) Mimo do blog Colecionadores de Histórias

Vários marcadores... Muito obrigada, Equipe linda!

2) Prêmio de Aniversário do blog Leitura Kriativa, da querida Raquel Machado (Kell)

Kit Conselho de Amiga, Siobhan Vivian (Editora Novo Conceito)

3) Kit Do Seu Lado, prêmio do blog Devorador de Letras,  do Marco Antonio

Kit Do Seu Lado, Fernanda Saads (Editora Novo Conceito) e Marcadores de Livro.

4) Prêmio do blog Mix Literário, da querida Karini Couto (Kari)

O Último Beijo - Livro 1 da Série The Last, Cacá Adriane (Editora Dracaena)

5) Troca temporária com a blogueira e querida parceira Biia Rodrigues (Pepper Lipstick)

Belo Desastre, Jamie McGuire (Editora Verus)

6) Lido: Anna e o Beijo Francês - Resenha


Anna e o Beijo Francês, Stephanie Perkins (Editora Novo Conceito) 

7) Lido: Delírio - Resenha

Delírio, Lauren Oliver (Editora Intrínseca)

É claro que eu recebi mais livros durante esses dois meses sem postar caixinhas de correio, mas, por hora, foi isso que separei para mostrar a vocês. Agradeço a todos que perguntaram pela minha saúde ou me desejaram melhoras. Estou bem melhor sim, graças a Deus. 

Ainda nesta semana teremos lançamentos de sorteios no blog, fiquem atentos.

Boa semana para todos!

[Resenha] A Noiva Trocada

terça-feira, 11 de dezembro de 2012


Olá, pessoal. Como vão todos? Depois de alguns dias de férias forçadas - peguei uma virose muito chata -, cá estou de volta. Durante esses dias, aproveitei bastante para ler e até fiz parceria com mais uma escritora nacional, Mônica Cadorin. Ela é minha companheira de fórum e tem uma carreira literária de mais de vinte anos. Que máximo, não é mesmo? A Mônica é bastante experiente e publica por conta própria um romance a cada ano. O título da vez é "A Noiva Trocada". Em breve, um exemplar autografado será sorteado aqui no blog, então confiram a resenha. 

_____________________________________

A Noiva Trocada

Autora: Mônica Cadorin
ISBN: 9788591091119
Editora: Edição do Autor
Gênero: Romance Histórico
Ano: 2012
Páginas: 73

Sinopse

Assunción chega ao Rio de Janeiro em 1579 para se casar com Henrique, um noivo que ela nunca viu. Quando os empregados dele vêm buscá-la, encontram-na desmaiada, e acham melhor levar outra moça, que se faça passar pela noiva no dia da chegada, para causar uma boa primeira impressão ao noivo. Inês é contratada para esse fim e cumpre bem seu papel mas Assunción não toma seu lugar no dia seguinte, por ainda não estar bem, e deixa espaço para que Henrique se apaixone pela falsa noiva e descubra que foi enganado.

Resenha

Amândio e Miguel, funcionários de Dom Henrique, recebem a incumbência de ir buscar a noiva prometida ao patrão, a bela espanhola de dezenove anos, Assunción, no porto. O problema é que o navio se adiantou e agora eles não fazem ideia de onde ela esteja. Após procurá-la por um tempo, recebem uma pista do Capitão e seguem a procurá-la até que a encontram desmaiada numa taberna. Ao perguntar sobre o ocorrido, a taberneira Inês, uma bela jovem de vinte e um anos, explica que a moça tomou três garrafas de vinho e apagou. Amândio e Miguel ainda tentam acordá-la, mas, vendo que é impossível e temendo que a bebedeira cause má impressão no noivo, o implacável Dom Henrique, eles têm uma grande ideia: trocar a noiva.

Não sem relutância e com alguma pechincha, a taberneira Inês aceita passar-se como noiva de Dom Henrique durante um dia, pela quantia de dois mil réis. No caminho para a fazenda, Amândio trata de instruí-la acerca de seu papel. Como Inês e Assunción não são muito parecidas, eles decidem que ela deve usar uma mantilha, a fim de cobrir os cabelos castanhos em vez de negros, e um leque para esconder a sua face.

A chegada à casa dá-se ao anoitecer, e isso termina favorecendo as coisas para Inês. Após o jantar, a jovem resolve ir para o quarto descansar e fica pensando em como farão a troca pela manhã, mas então alguém lhe bate à porta e, para seu desespero, o visitante é Dom Henrique, requerendo de si um pouco menos de formalidade. Ao final de algumas tentativas frustradas, o jovem obstinado consegue arrancar-lhe um beijo cálido e Inês, que nunca fora beijada antes, termina ficando balançada. Na manhã do dia seguinte, Assunción ainda não está recuperada, de modo que não é possível fazer a troca, e, para completar a agonia de Inês, mesmo ela tendo alegado indisposição, Dom Henrique resolve passar o dia inteiro ao seu lado, destilando gentilezas.

Narrado em terceira pessoa, tempo passado, A Noiva Trocada é uma história leve, romântica e divertida, do tipo que a gente começa a ler e não consegue parar mais até que chegue ao fim. A ambientação é muito bem feita. O fato de a autora ser historiadora, com certeza, colabora nesse sentido. Ela contou com detalhes e dinamismo, ao mesmo tempo, o processo da produção do açúcar, bem como um pouco acerca da produção da cachaça, e o que é melhor, quase tudo através de diálogos! Sim, a autora praticamente dialogou a história inteira, o que foi excelente, pois as descrições foram passadas de modo natural, como se estivéssemos realmente observando uma conversa, só que entre pessoas que viveram no Rio de Janeiro de 433 anos atrás. 

No quesito enredo, Mônica também foi muito competente. Temos um início, meio e fim bem definidos, e todos os personagens recebem a sua devida resolução. Não há furos na história e o ritmo da narração é realmente muito bom. A linguagem, apesar de ser autêntica e característica da época, é bastante leve, sem o uso exagerado de palavras arcaicas ou de difícil compreensão - eu, particularmente, não tive dúvida acerca de nenhuma palavra. E o sotaque de Assunción ficou realmente perfeito. Eu me diverti muito com ela e com os demais personagens da história. 

Quanto à diagramação, não posso falar, visto que o li em e-book. Mas acredito que seja simples, já que é uma produção independente. Gostaria de dizer também que, embora a autora o tenha classificado como romance, eu o considerei como novela, visto que o tema do livro tem apenas um conflito principal e um secundário, e que os personagens, apesar de serem um tanto mais complexos do que nos contos, estão em busca da mesma resolução.

Bem, depois de tantos elogios e empolgação com o livro, eu super-recomendo a leitura de A Noiva Trocada tanto para adolescentes quanto para jovens e adultos. É uma leitura muito leve e prazerosa para se fazer em apenas uma ou duas horas. Sem sombra de dúvidas, vocês vão se divertir! 



Sobre a autora

Mestre em História e Crítica da Arte pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Dedica-se à literatura desde 1985, com especial ênfase ao romance histórico. Participou de cinco coletâneas de textos literários, apresentando poesias e crônicas. Publicou seis romances com a Editora Sotese e dois romances independentes. É Membro Correspondente da Academia Brasileira de Poesia - Casa Raul de Leoni desde 1998 e Membro Titular da Academia de Letras de Vassouras desde 1999.

Twitter: @monicadorin
Facebook: Mônica Cadorin
Compre o livro: BlogLivraria


[Crônica] Eu me lembro

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Olá, pessoal. Estava fuçando minhas coisas e encontrei um texto que escrevi  em 13 de agosto de 2012, o qual seria postado no dia do meu aniversário, 29 de outubro. Mas como as coisas sempre mudam, e eu gosto bastante dessa imprevisibilidade, resolvi postá-lo hoje. Confiram mais uma das minhas reflexões acerca do tempo.

_______________________________________________

Eu me lembro


Sou uma pessoa reconhecida pela boa memória. Me lembro de quando tinha dois anos e esperava meu irmão, de cinco, chegar da escola no final da tarde para podermos brincar. Também me lembro de fazermos meu velotrol de carrinho de sorvete - o que enlouquecia a nossa mãe - e de saltarmos de toda e qualquer parte elevada da casa, fingindo ter a força do Popeye. Me lembro do dia em que pus perfume em meu bolo de aniversário, o que rendeu boas palmadas em meu bumbum, e do dia em que, com o auxílio da mamãe, catei e cozinhei meu primeiro feijão verde, aos cinco anos - sim, é desde pequena  que eu tenho aptidão para a cozinha. E logo minhas sopas, doces e bolos, aos onze anos, se tornaram uma tradição familiar. Mas não é só disso que me lembro...

Meus passarinhos conversavam comigo todas as manhãs, meus cachorros dormiam na minha cama, minhas galinhas tomavam banho e eram penduradas no portão, meus ratinhos twister nadavam nos baldes com água morna e todos os meus gatos tinham o pelo aparado. Mas eram os cadernos, repletos de histórias, que revelavam o quanto minha imaginação era fértil. E eu fui estudar num bairro distante, fazer cursos em bibliotecas, pular muros de hotel tentando conseguir autógrafos dos jogadores da seleção brasileira de futebol, viajar com o grupo de teatro e sofrer com as terríveis crises de síndrome do pânico e depressão. 

Jasmim... Eu adorava o perfume do jasmim!

Tantas coisas se passaram desde então: boas, ruins, surpreendentes, impactantes... É interessante como me lembro de tudo, e mais interessante ainda como essas lembranças tão vivas e recentes podem parecer tão remotas agora. Eu era criança, devaneava muito acerca do futuro. Como foi que cada um daqueles instantes evaporou, assim, de uma hora para a outra? Tenho a impressão de que apenas pisquei os olhos demoradamente, e o tempo, implacável, voou.

_________________________________
PS. O avançar do tempo realmente não me entristece, pelo contrário, a cada ano, graças a Deus, a minha vida só tem melhorado. Mas é fato que gosto de refletir sobre ele. Tudo passa tão rápido... Que possamos aproveitá-lo da melhor maneira possível. 


[Literatura e Gastronomia] Risotto de Gorgonzola ao perfume de Pera

domingo, 25 de novembro de 2012

Tudo pronto, meu mise en place disposto na ordem, faltava apenas começar a cocção. Manteiga, cebola à brunoise, arroz carnaroli, fundo de legumes, vinho branco, queijos gorgonzola e parmesão, pera em cubinhos macedoine; eu começaria pelo risotto, e Christina teria que mexê-lo para mim. (Caio Gabriel Doisneau - Entre a Fé, a Razão e o Coração)

ef

Olá, amigos e leitores. Resolvi fazer um post diferente hoje. Como vocês sabem, além de blogueira, sou escritora e estudante de gastronomia; não preciso dizer mais nada para que vocês imaginem o quanto a culinária se envolve em minhas histórias, não é mesmo? Pois bem, o trecho acima foi retirado de um dos meus romances e narra parte da cena em que o anti-herói Caio Gabriel conhece a mocinha Christina e tenta conquistá-la com seus maravilhosos dotes culinários. Nela, o cantor e cozinheiro prepara alguns pratos deliciosos, mas dentre todos o que fica na cabeça da protagonista é mesmo o Risotto de Gorgonzola ao Perfume de Pera. Confiram a narração da personagem e, em seguida, as medidas da receita.

ef


Voltei para casa pensando neles, no doce Ricardo e em Caio Gabriel, um homem bonito demais, do tipo que arrebata olhares e faz qualquer mulher perder o ar.  Não gostei do jeito dele, sei lá por quê. Não bastasse Ricardo me olhando todo misterioso, agora tinha aquele modelo de capa de revista fantasiado de cozinheiro me lançando o maior olhar de seca pimenteira.

(...)

Cá com meus botões, será que ele, o cantor-modelo-cozinheiro, gostou de mim? Aquele jeito esquisito, para não dizer excêntrico, de me olhar... Não, claro que não, eu era apenas uma saracura pálida de cabelos compridos e nenhuma graça; e ele, ele era mais bonito que o Richard Gere com dezoito anos.

Fiquei constrangida por pensar nele, deveria ser culpa do dólmã. Aliás, como uma coisa leva à outra, que jantar maravilhoso! Legumes puxados na manteiga, ninho de alho-poró com um delicioso molho de camarão, filé de salmão assado e risotto de gorgonzola ao perfume de pera, o mais bem feito que já comi na vida. Recapitulando... Dourar a cebola bem picadinha na manteiga, acrescentar o arroz carnaroli, depois um pouco de vinho branco, continuar acrescentando caldo de legumes e mexendo sempre até o arroz ficar ao dente. Perto de servir, adicionar o queijo gorgonzola, um pouco de parmesão ralado, mais manteiga para dar brilho, a pera cortada em cubinhos e corrigir o sal. Hum! Nunca mais me esqueceria de como se faz um risotto perfeito.

Ingredientes/medidas

2 xícaras (chá) de arroz carnaroli ou arbóreo 
3 colheres (sopa) de manteiga
1 cebola média picada
1 xícara (chá) de vinho branco seco
1 e ½ L de caldo de legumes
5 colheres (sopa) de queijo gorgonz
2 peras maduras firmes em cubo
Pimenta do reino q.b.*
Sal q.b.*

*q.b. = quanto baste
___________________________________________

O romance "Entre a Fé, a Razão e o Coração" é o primeiro de uma série de quatro livros ainda não publicados (sequência: Perdão Você, Pecado de Caio e Segredos de Christina) e a imagem da capa foi feita há cerca de dois anos pela minha amiga Gisela Santanna, autora de Memória Marte, livro que sorteei na semana passada. 

[Sorteio] Coleção Cinquenta Tons #Resultado

sábado, 24 de novembro de 2012


Olá, amigos e leitores! Sábado é dia de coisa boa, não é mesmo? Por isso é com muita alegria que eu e a Biia (Pepper Lipstick) trazemos para vocês o tão esperado resultado da Promoção Coleção Cinquenta Tons. Foram mais de cem mil entradas! E agora um sortudo ou sortuda vai levar para casa o queridinho Christian Grey³ - porque a Anastasia aguada Steele¹ ninguém quer, né? (risos) 

Sem mais enrolações... Dedinhos cruzados! E o vencedor (a) é... Tchan-tchan-tchan-tchan...


Parabéns, Sabrina Piano!

Eu e a Biia conferimos que a Sabrina cumpriu todas as regras. Também já enviamos um e-mail informando o resultado da promoção, o qual ela teria até 27.11.12 (três dias) para responder, mas já respondeu. O prêmio será enviado em até 30 dias a partir de hoje.

Confiram as entradas da vencedora:





 

Então é isso, pessoal. Agradecemos a todos que participaram. E quem não ganhou, não precisa ficar triste. Em breve, eu e a Biia anunciaremos a promoção Hush Hush. Aguardem!


Seis coisas que eu mudaria no seu blog

quinta-feira, 22 de novembro de 2012



Olá, pessoal. Venho hoje trazendo uma postagem um tanto diferente, que fala não sobre literatura mas sobre nossos blogs. Assim como vocês, eu amo ler as postagens dos amigos, porém, nessa caminhada pela blogosfera, tenho encontrado algumas pequenas dificuldades. Pensei nisso durante um tempo e cheguei à conclusão de que nem sempre a gente tem noção do que pode haver de errado ou de menos atraente em nossas páginas. Como diz aquela equivocada propaganda do cartão Visa - e aqui o conselho é verdadeiro! -, "às vezes, é bom ter um amigo para avisar".


Seis coisas que mudaria no seu blog



Confirmação de letras

Eu sei que a maioria dos blogueiros cujos blogs pedem confirmação de letras nem tem ideia que isso ocorre, mas vou escancarar um segredo: tem dias em que essas letrinhas quase conseguem me roubar a paciência. Por mais que eu digite o código corretamente - ou pense que o fiz -, nunca dá certo! São três, quatro, cinco tentativas às vezes. Além de nos fazer perder tempo, ainda podemos perder o comentário.

Comentários que abrem em outra guia

Gente do céu! Sabe quando sua internet está mais lerda do que lesma? Agora junta isso com o ter que abrir mais uma página... Nossa! Nos dias em que a provedora aqui de casa está de TPM, eu termino ficando por associação.

Cursores personalizados

Oh, mon Père! Eles são tão fofos, não é? Eu sei, acho mesmo. O problema é que acertar os links com eles é um desafio e tanto para mim. Seria legal se os cursores fossem fofos e mantivessem a mesma presteza que o cursor padrão. Em resumo, o blog fica mignonette (um primor), mas eu me embanano toda.

Bonequinho do twitter 

Confesso já ter me acostumado com eles, mas ainda fico agoniada quando param bem em cima do texto. Não que seja incomodativo ao extremo, só acho que eles nos obrigam a mexer na tela, e isso quebra o ritmo da leitura.

Músicas ou barulhinhos que não param

Eu sei que algumas músicas são muito inspiradoras, mas acontece que cada pessoa tem a sua própria playlist inspiradora. Eu, simplesmente, não consigo me concentrar direito na leitura quando não estou habituada a tais e tais músicas; elas roubam minha atenção. Na verdade, não sou contra aos blogs colocarem músicas, só penso que elas precisam vir com as opções PLAY, PAUSE e STOP. 

Fonte pequena, cores claras e/ou fluorescentes

Por mais que a gente queira inovar deixando a nossa página com carinha de caderno pessoal, precisamos compreender que blogs, especialmente os literários, têm como objetivo principal a leitura. Se a fonte do texto for pequena ou complicada de discernir, tiver uma cor muito clara, berrante ou fluorescente, o objetivo do blog ficará claramente prejudicado. Então, muito cuidado na hora de escolher as fontes e as cores. Quanto mais confortável - além de divertida, inteligente e interessante - for a leitura, mais o visitante sentirá vontade de retornar.


*****

Talvez o seu blog apresente uma ou mais dessas alternativas que listei. Independente de ele se encaixar ou não, gostaria que você deixasse sua opinião acerca disso e das coisas que gostaria de mudar no meu.


[Niver da Blogueira + Sorteio] Memória Marte #Resultado

terça-feira, 20 de novembro de 2012


Olá, queridos amigos e leitores! Depois de trinta e quatro tão esperados dias, trago para vocês o resultado da promoção Niver da Blogueira + Dia Nacional do Livro = Memória Marte. Cruzem os dedinhos... E o (a) grande sortudo (a) da vez é...




Parabéns, Jéssica Patrício!

Você cumpriu todos os requisitos obrigatórios e tem até a 0h de 24.11.12 (três dias a partir desta postagem) para responder meu e-mail com seus dados solicitados. 

Agradeço a todos que participaram da minha festinha de aniversário virtual. Aproveitem os dois últimos dias da promoção Coleção Completa Cinquenta Tons. Em breve, mais sorteios e promoções serão lançados aqui no blog.


[Selinho] Prêmio Dardos + Os Sete Pecados da Leitura

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Olá, queridos. Sei que ando muito sumidinha, peço desculpas por isso. Tentarei me organizar melhor para que, mesmo com os eventuais contratempos, o blog mantenha suas atualizações frequentes. Outra vez, essa seria a postagem da Caixinha de Correio, porém, me acidentei ontem quando preparava a câmera para gravar o vídeo - caí e todo o peso do meu corpo foi sustentado pelo meu polegar direito. Felizmente não quebrei nenhum osso, apenas estou com dores na mão e quase metade da unha roxa. Só eu mesma para conseguir essas façanhas, não é?

Bem, hoje venho agradecer pelas lindas blogueiras que me presentearam com dois selinhos maravilhosos. A primeira é a Elaine Rocha (Escritora de 1ª Viagem) que me contemplou com o Prêmio Dardos. 


Prestigiado e desejado no mundo dos blogs, o Prêmio Dardos reconhece o mérito diário de cada blogueiro que com amor e dedicação faz espalhar o seu conhecimento e criatividade, tornando-o disponível para todos na web. De acordo com as regras, deve-se: exibir a imagem do selo no blog, colocar o link do blog de quem se recebeu o prêmio, escolher outros blogs para receber o selo Prêmio Dardos, bem como avisar aos escolhidos.

Obriguei-me a escolher apenas cinco dentre os muitos blogs maravilhosos que frequento, porque senão a lista seria imensa, quase interminável! E o prêmio vai para:

Strawberry de Filmes e Livros
Pepper Lipstick
Universo Literário
O Epitáfio
Livros e Chocolate

A próxima blogueira fofa, Jéssica Patrocínio (Strawberry de Livros e Filmes), me tagueou  com o selinho Os 7 Pecados da Leitura


Todo mundo conhece os 7 pecados capitais, correto?
Que tal conhecer os pecados da literatura?

Ganância

Qual seu livro mais caro? E o mais barato?

Sinceramente, o mais caro eu não sei. Eu e meu esposo compramos bastante, então é difícil saber. Do mais barato eu me lembro - e como! -, mas foi uma compra tão absurda que quase não tenho coragem de revelar. (R$ 0,10 - risos)

Ira

Com qual autor você possui uma relação de amor/ódio?

Relação de amor/ódio seria exagero, mas não é segredo que eu não simpatizo muito com Nicholas Sparks. Acho até que ele tem ideias brilhantes, porém termina enchendo os livros de clichês e estragando tudo. Sem falar que a narração dele é muito chata - pronto falei.

Gula

Qual o livro que você devorou sem vergonha?

"Lula, o filho do Brasil" (Denise Paraná). Entrei na livraria, peguei o livro, sentei numa poltrona e o li todo em duas horas, mais ou menos. Foi meu recorde.

Preguiça

Qual o livro que você tem negligenciado devido à preguiça?

Sabe que eu não sei... Minha lista de livros não lidos não para de crescer, acho que estou negligenciando vários.

Orgulho

Qual o livro que você tem orgulho de ter lido?

A "Bíblia". Li três vezes, sistematicamente, de Gênesis até Apocalipse. Ainda sou leitora assídua do livro Sagrado, agora o leio de modo aleatório (o livro que sentir vontade); parei com a sistemática. 

Luxúria

Quais atributos você acha mais atraente em personagens masculinos e femininos?

Pra começo de conversa, não gosto de personagens infantilizados e não acho que beleza, nesse caso, seja tudo. Para mim, personagens masculinos atraentes são bem-resolvidos, intrépidos, enérgicos, inteligentes, astutos, bem-humorados e, ao mesmo tempo, românticos, afáveis, surpreendentes. As figuras femininas que considero atraentes são inteligentes, bem-humoradas, sinceras, sensíveis, complicadas, intensas e paradoxais. 

Inveja

Quais livros você gostaria de ganhar de presente?

São tantos... Difícil, hein? Bem, meu niver foi no mês passado - ainda está em tempo -, então...

"Ilusões" - Aprilynne Pike
"Dizem por aí..." - Jill Mansell
"Três Metros Acima do Céu", "Desculpa se te chamo de amor", "Desculpa, quero me casar contigo", "Carolina se apaixona" - Federico Moccia
"Estilhaça-me" - Tahereh Mafi
Todos do Kenneth Hagin (tanto o pai quanto o filho)
Todos do Smith Wigglesworth
Todos do John Bevere

Para mais informações, passem no Skoob e confiram minha lista de livros desejados. (gargalhadas)

Indico esse meme a todos que ainda não o receberam e desejam respondê-lo. 

[Resenha] Delírio

sábado, 10 de novembro de 2012

Olá, amigos e leitores. Essa postagem seria a da Caixinha de Correio, mas, conforme publiquei na fanpage do blog, estou com problemas de conexão desde a última segunda-feira. Espero que tudo seja normalizado o mais breve possível.

Hoje trago para vocês a resenha de um dos livros que mais desejei ler esse ano: Delírio, Lauren Oliver; tanto que pulei a fila das resenhas e o coloquei em primeiro lugar. Mas isso não foi de todo ruim, pois a resenha da vez era Belo Desastre, e eu gostei tanto desse livro (do Travis "Cachorro Louco" Maddox) que resolvi relê-lo. Bom, mas essa é uma outra história... Vamos ao que interessa.

______________________________________________

Delírio

Título original: Delirium
Autora: Lauren Oliver
Tradutora: Rita Russekind
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance Distópico
Ano: 2012 
Páginas: 342

Sinopse

Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos. Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura?

Resenha

"Amor: ele vai matá-lo e salvá-lo, ao mesmo tempo." (pag. 307)

Num futuro distante nos Estados Unidos, o amor é considerado a pior de todas as doenças. Sem amor não há ódio, sofrimento ou dor; sem amor há apenas paz, segurança e tranquilidade. É com esse pensamento que o governo desenvolve a cura - procedimento cirúrgico realizado em todos os cidadãos ao completarem dezoito anos - para a perigosíssima Amor Deliria Nervosa. Lena Haloway é uma garota de dezessete anos, de beleza e medidas medianas, que aguarda ansiosamente pelo dia em que ficará livre, definitivamente, desse mal que já assombrou sua família por duas vezes. Mas no dia da sua avaliação pré-intervenção - espécie de entrevista probatória em que se deve responder sobre suas inclinações e aptidões, a fim de obter aprovação quanto ao futuro: com quem vai se casar, onde vai morar, se vai ou não cursar faculdade, em que ramo irá trabalhar, etc. -, ocorre um incidente e ela termina avistando um estranho rapaz. Dias depois, eles terminam se conhecendo por acaso e a amizade que surge entre Lena e Alex, começa a fazê-la duvidar sobre a veracidade do que lhes é imposto pelo sistema. 

"Tenho quase certeza de que isso também é uma mentira. É mais fácil, em muitos sentidos, imaginar um lugar como Portland - um lugar com as próprias paredes, barreiras e meias-verdades, um lugar onde o amor ainda tenta existir, mas de forma imperfeita." (pag. 306)

Narrado em primeira pessoa, por Lena, Delírio é um romance que nos faz refletir acerca da opressão que nos é imposta pelos padrões da sociedade. No início de cada capítulo, a autora coloca trechos de "provérbios" ou de livros hipotéticos que ajudam na contextualização da história. Recentemente, li um comentário que negava a identidade distópica do livro, e discordei. Não somente nesse ponto, mas especialmente quando Lauren fala acerca da existência de Deus e da salvação, em minha opinião, ela transparece e afirma sua crítica a certas religiões fechadas que dominam completamente a vida de seus membros ou seguidores.

"Os estudos dos cientistas não são realmente claros em relação ao que acontece quando morremos: supostamente, nos dissipamos na matéria celestial que é Deus e somos absorvidos por Ele, apesar de também se dizer que os curados vão para o céu e vivem eternamente em perfeita ordem e harmonia." (pag. 275)

Confesso que tive certa dificuldade para me conectar com o ambiente e os personagens no começo da leitura; é mesmo difícil conceber que o amor é uma doença e que viver sem ele seria melhor. Mas a narradora é bastante descritiva, o que nos ajuda a compreender o quanto os personagens estão envolvidos pelo sistema dominador, como numa espécie de Síndrome de Estocolmo Social. Apesar das muitas descrições, o ritmo da narração é crescente, e a história não se torna chata ou monótona em momento nenhum.

A diagramação do livro foi muito bem feita, trouxe detalhes que considerei marcantes, como: páginas iniciais e finais pretas, caligrafia artística nos títulos dos capítulos e um pequeno e belo separador. A fonte é pequena, mas as páginas amareladas dão conforto à leitura. E a capa é, simplesmente, linda! Encontrei alguns poucos erros de revisão e um pequeno furo no enredo (Lena diz se corresponder por e-mail com Hanna, sua melhor amiga, mas não tem computador), o que não diminuiu em nada a qualidade do livro como um todo.

Sem sombra de dúvidas, Delírio foi um dos melhores livros li esse ano e, assim como todos que o leram e ficaram entusiasmados pelo seu desfecho eletrizante, não vejo a hora de ler a continuação. Recomendo-o a todos que apreciam o gênero, e também aos que ainda não leram distopias, de olhos fechados.

"Amor, a mais mortal das coisas mortais: mata quando você tem e quando você não tem." (pag. 307)